Nova vida para resíduos plásticos

Método usa embalagens de PET descartadas e adição de enzimas para gerar novo material a ser empregado na indústria petroquímica.

Características como leveza, baixo preço e resistência à degradação fazem dos materiais plásticos matéria-prima ideal para uma extensa variedade de produtos na vida contemporânea. No entanto, sua durabilidade é também uma das principais causas de problemas ambientais, sobretudo, pelo acúmulo de resíduos gerados tanto em ambientes terrestres quanto em oceanos.

O descarte inadequado de plásticos do tipo PET – poli(tereftalato de etileno) – é hoje alvo de grande preocupação por parte de ambientalistas e da sociedade em geral. No mundo, são produzidos, anualmente, em torno de 50 milhões de toneladas de PET , com um percentual de reciclagem de 18% apenas.

Juliana Vaz Bevilaqua
José Nicomedes Junior
Aline Machado de Castro

Centro de Pesquisas da Petrobras

CONTEÚDO EXCLUSIVO PARA ASSINANTES

Para acessar este ou outros conteúdos exclusivos por favor faça Login ou Assine a Ciência Hoje.

Seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Outros conteúdos desta edição

614_256 att-33344
614_256 att-33330
614_256 att-33306
614_256 att-33286
614_256 att-33276
614_256 att-33250
614_256 att-33240
614_256 att-33108
614_256 att-34144
614_256 att-33970
614_256 att-33957
614_256 att-33797
614_256 att-27650
614_256 att-33754
614_256 att-33744

Outros conteúdos nesta categoria

725_480 att-87350
725_480 att-86492
725_480 att-86001
725_480 att-85578
725_480 att-85004
725_480 att-84761
725_480 att-84276
725_480 att-83829
725_480 att-83596
725_480 att-82941
725_480 att-82066
725_480 att-81484
725_480 att-80993
725_480 att-80500
725_480 att-79703