O perfume das plantas e a polinização:
A produção de coquetéis químicos sofisticados para atrair insetos

Um inseto investiga uma flor. Ao partir, leva consigo grãos de pólen em seu corpo. Fato corriqueiro. Mas há algo nos bastidores dessa cena: para maximizar a atração de polinizadores – e, portanto, garantir a própria sobrevivência, em ambiente de disputa acirrada –, plantas produzem perfumes sofisticados.

Sem essa relação planta-polinizador, a vida na Terra estaria ameaçada. E os tempos atuais não têm sido os melhores para os polinizadores.

A degradação acelerada dos recursos naturais – provocada, em grande medida, por ações humanas (antrópicas) – tem afetado drasticamente a manutenção da oferta dos serviços ecossistêmicos, ou seja, aqueles que a natureza nos oferece e que são essenciais para a sobrevivência da humanidade.


A polinização é um processo fundamental para a reprodução das plantas e garante a formação de frutos e sementes

A sociedade tem demorado a entender que a natureza tem seus limites de resiliência, e que não podemos mais atrasar as ações adequadas para diminuir esse problema – considerado grave atualmente.

Entre os serviços ecossistêmicos mais ameaçados, a polinização merece atenção especial. Das plantas (tanto cultivadas quanto silvestres) usadas em nossa alimentação, 76% delas dependem de polinizadores para a produção, como salienta o Relatório temático sobre polinização, polinizadores e produção de alimentos no Brasil. Em tempo: é bom lembrar que as plantas são cerca de 80% de nossa dieta.

A polinização é um processo fundamental para a reprodução das plantas e garante a formação de frutos e sementes. O mecanismo fundamental consiste na transferência de grãos de pólen entre os órgãos masculinos e femininos das flores.

Plantas não se movem. Então, quem faz a transferência do pólen entre as flores? Resposta: animais, água ou vento. Nos ambientes tropicais, 94% das plantas têm ajuda de animais (abelhas, vespas etc.) que, por seus serviços, recebem recursos como néctar, pólen, resinas, óleos e perfumes. É um serviço de benefício mútuo.

O que não é tão conhecido é o fato de as plantas terem desenvolvido mecanismos sofisticados para maximizar a atração dos insetos polinizadores. Em geral, quanto mais insetos atraírem, mais frutos (e de melhor qualidade) elas produzirão. Para muitos cultivos, a ação de polinizadores é essencial e pode resultar em incremento de 90% a 100% na produção, como é o caso da abóbora, melancia e tangerina.

Já para o café, a produção de seus grãos pode ter incremento de 10% a 40% pela ação de polinizadores, o mesmo percentual encontrado na produção de soja e laranja, cultivos importantes para nossa alimentação e economia.

Rafael Ferreira da Silva

Instituto de Química,
Universidade Federal Fluminense

Claudia Moraes de Rezende

Instituto de Química
Universidade Federal do Rio de Janeiro

CONTEÚDO EXCLUSIVO PARA ASSINANTES

Para acessar este ou outros conteúdos exclusivos por favor faça Login ou Assine a Ciência Hoje.

Seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Outros conteúdos desta edição

614_256 att-49396
614_256 att-49261
614_256 att-49271
614_256 att-49242
614_256 att-49281
614_256 att-27650
614_256 att-49172
614_256 att-49165
614_256 att-49134
614_256 att-49115
614_256 att-49123
614_256 att-48971
614_256 att-49091
614_256 att-49061
614_256 att-48964

Outros conteúdos nesta categoria

725_480 att-79058
725_480 att-79037
725_480 att-79219
725_480 att-78924
725_480 att-78884
725_480 att-78680
725_480 att-78625
725_480 att-78617
725_480 att-78228
725_480 att-78208
725_480 att-78192
725_480 att-78176
725_480 att-77561
725_480 att-77521
725_480 att-77475