Vilões da concentração

Instituto de Ciências Biomédicas
Universidade Federal do Rio de Janeiro
Instituto D’Or de Pesquisa e Ensino (IDOR)
Rede Nacional de Ciência para Educação (Rede CpE)

Livro discute os fatores que contribuem para a dificuldade que as pessoas têm atualmente de manter o foco em tarefas prolongadas, entre eles, o consumo de alimentos nada saudáveis e o uso desenfreado de tecnologias digitais

Foco roubado: os ladrões de atenção da vida moderna

Johann Hari (autor); Luis Reyes Gil (tradutor)

Vestígio, 2023, 352 p.

Ao ler o título dessa obra, o/a leitor(a) desavisado(a) poderá achar que se trata de mais um livro demonizando as tecnologias digitais. Mas esse não trata disso. Ou não apenas disso. O livro parte da premissa de que cada vez mais estamos com dificuldade de nos concentrar em tarefas que requerem foco mais prolongado, o que é compatível com a descoberta, publicada no ano passado na revista Intelligence, de que, pela primeira vez, uma geração mais jovem foi pior em testes de QI.

De fato, algumas tecnologias digitais podem contribuir para essa perda de foco sustentado. São muitas as pesquisas que mostram isso, como a que verificou que tentar realizar uma tarefa com o celular ligado ao lado diminui o desempenho da pessoa nessa tarefa. Ou o estudo que mostrou que, cada vez que interrompemos o que estamos fazendo para checar uma mensagem, demoramos algum tempo para retomar a concentração. O autor do livro até analisou efeitos desse tipo em si mesmo, se isolando por 3 meses em um lugar sem internet. 

Mas o livro não é só isso. Ele lista 12 forças que estão contribuindo para essa dificuldade de manter o foco e que têm a ver com a vida moderna. Essas forças vão desde a aceleração da vida, passando pela diminuição do tempo (e qualidade) do sono, por dietas baseadas em alimentos ultraprocessados, pela poluição, até, claro, o uso de aplicativos que empregam mecanismos nefastos para prender a nossa atenção pelo maior tempo possível.

Para ilustrar cada uma dessas forças, Johann Hari cita muitas entrevistas com pesquisadores de várias partes do mundo. E faz isso de forma muito honesta, colocando suas dúvidas pessoais, ou mencionando que há controvérsias quanto ao tema por parte dos próprios cientistas. Pode-se notar que ele fez uma pesquisa realmente cuidadosa, que resultou na oferta de muitos materiais além do livro, como essas entrevistas na íntegra, para quem quiser se aprofundar.

CONTEÚDO EXCLUSIVO PARA ASSINANTES

Para acessar este ou outros conteúdos exclusivos por favor faça Login ou Assine a Ciência Hoje.

Outros conteúdos desta edição

725_480 att-87661
725_480 att-87755
725_480 att-87852
725_480 att-87831
725_480 att-87559
725_480 att-87613
725_480 att-87589
725_480 att-87724
725_480 att-87855
725_480 att-87818
725_480 att-87716
725_480 att-87790
725_480 att-87735
725_480 att-87796
725_480 att-87656

Outros conteúdos nesta categoria

725_480 att-78503
725_480 att-87291
725_480 att-86841
725_480 att-86192
725_480 att-85621
725_480 att-85391
725_480 att-84884
725_480 att-84358
725_480 att-83636
725_480 att-82256
725_480 att-81851
725_480 att-81103
725_480 att-80435
725_480 att-79811
725_480 att-79455