Uma verdade (talvez, chocante): o ‘agora’ não existe. Mesmo se estivermos olhando para um objeto ou uma pessoa a poucos metros de nós, somos capazes apenas de ver o passado. E, quando observamos o cosmos, essa história fica ainda mais impressionante

CRÉDITO: FOTO ADOBE STOCK

Em nossas relações cotidianas, temos a experiência de viver o presente. Em um instante, o que percebíamos ficou no passado, e o próximo segundo trará um futuro à nossa espera. Lembramo-nos do que fizemos há uma hora ou até há décadas e imaginamos como será o amanhã.

Para não nos esquecermos, inventamos várias maneiras de guardar nossas lembranças. Além da tradição oral, na qual transmitimos nossa cultura por meio da fala de uma geração para a outra, pinturas rupestres e, depois, a escrita foram as primeiras formas de guardar nossa história.

Adilson de Oliveira
Departamento de Física,
Universidade Federal de São Carlos (SP)

CONTEÚDO EXCLUSIVO PARA ASSINANTES

Para acessar este ou outros conteúdos exclusivos por favor faça Login ou Assine a Ciência Hoje.

Seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Outros conteúdos desta edição

614_256 att-71741
614_256 att-71966
614_256 att-71563
614_256 att-71841
614_256 att-71824
614_256 att-72030
614_256 att-72023
614_256 att-71767
614_256 att-71644
614_256 att-71608
614_256 att-27650
614_256 att-71818
614_256 att-72009
614_256 att-71903
614_256 att-72017

Outros conteúdos nesta categoria

725_480 att-85755
725_480 att-84894
725_480 att-84554
725_480 att-84261
725_480 att-83905
725_480 att-83605
725_480 att-83095
725_480 att-82636
725_480 att-82173
725_480 att-81539
725_480 att-80949
725_480 att-80355
725_480 att-79782
725_480 att-79523
725_480 att-78535